103 anos de amor

Eu queria saber qual foi o exato minuto em que Luigi Cervo, Vincenzo Ragogneti, Ezequiel Simone e Luigi Emanuele Marzo decidiram em uma quarta-feira do dia 26 de agosto de 1914 fundar a Societá Esportiva Palestra Itália. Queria saber qual foi o exato minuto, o preciso segundo, a caneta tinteiro que usaram e o papel que foi assinado… Queria saber o que eles tinham comido no café da manhã, se almoçaram uma bela macarronada ou se depois de fundar o Palestra simplesmente voltaram para o trabalho nas indústria Matarazzo sem ter consciência do gigante que haviam criado.

Eu queria saber o que levou a essa italianada reunida em terras tupiniquins a criar esse que se tornou o amor maior da minha vida. A verdade é que talvez eu nunca descubra esses exatos detalhes, mas isso nunca fará diferença. Assim como você que lê agora, eu nasci Palmeiras, não me tornei. Ninguém teve que me ensinar a torcer, eu já nasci com o sangue verde correndo nas minhas veias, e é como dizem: nós somos palestra e isso basta. Não há explicação, não há razão de ser, simplesmente é.

São 103 anos de lutas, glórias, títulos, lágrimas e muito amor. O time que se iniciou pela vontade da italianada que amava o futebol e quis fundar seu clube aqui, teve a grandeza de aceitar mudar de nome, quando não queriam que aqui houvesse lembranças de uma guerra que acontecia do outro lado do oceano. Nós mudamos de nome, mas nunca esquecemos a guerra que deveríamos travar toda vez que surgíssemos no gramado. A fibra que deveríamos demonstrar para provar que mais que italianos, nós éramos brasileiros que escolhemos o Brasil para chamar de casa e o Palmeiras para chamar de amor.

O Palmeiras nasceu campeão, honrando a trajetória gloriosa do Palestra, aceitando todos aqueles que escolheram as cores verde, branca e vermelha, nosso vício, para chamar de sua.

O Palmeiras surgiu imponente, conquistando títulos, criando ídolos e lendas, conquistando corações e criando uma torcida que canta e vibra e que nunca para de cantar: porque o Palmeiras é nossa história, nosso presente, nosso futuro, minha fé e minha religião.

Palmeiras é minha razão e minha loucura em iguais proporções. É aquilo que às vezes me tira o sono e outras me faz dormir feliz. Que me dá incontáveis alegrias, depois de algumas frustrações. É aquilo que me faz brigar com amigos, mas me deu uma família Palestra de outros tantos amigos. É aquilo que me deu ídolos para chamar de meus, mas me dá raiva quando alguém veste o manto sem honrar sua fibra. Palmeiras é razão da minha existência, de me fazer esperar ansiosamente mas quartas-feiras e os domingos, de falar para os amigos: hoje não dá pra sair, tem Palmeiras!

Palmeiras.

Obrigada por existir!

Luigi Cervo, Vincenzo Ragogneti, Ezequiel Simone e Luigi Emanuele Marzo onde quer que vocês estejam nesse momento, meu eterno muito obrigada, vocês nos deram a melhor razão de amar!

Avanti Palestra! Scoppia che la vittoria è nostra!

Arquivo pessoal. Esquina mais alviverde do mundo (Rua Palestra Itália x Caraíbas) vibrando o eneacampeonato brasileiro.

Share:

Uma resposta para o post:

  • Deixe uma resposta

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *