A BUSCA DO CUCABOL 2.0

  • 25 de setembro de 2017
  • Eduardo Lodi
  • Blog
  • 1496
  • 7625 Views

“No pido nada especial a los jugadores. Sólo que hagan lo que saben y sean atrevidos. Sin atrevimento, no se sacan adelante los partidos importantes” – Josep Guardiola

A Frase é de Guardiola, mas o momento é de Cuca.

A busca do time ideal incomoda toda a Nação palmeirense desde o retorno do treinador campeão brasileiro. Isso aconteceu no começo do Nacional dessa temporada e felizmente parece estar caminhando para um final feliz.

Há uma cobrança muito grande dos torcedores para que o time encaixe e apresente um futebol mais convincente, que possa envolver adversários e ganhar mais jogos para alimentar o sonho do Bi Brasileiro. Buscando o encaixe do time Cuca trouxe mais jogadores como Deyverson e Bruno Henrique e ainda afastou um: Felipe Melo.

Vimos uma variedade de esquema táticos nas partidas que passaram, sendo nas ultimas até um 4-4-2, esquema até então novo. Além disso, vimos uma troca muito grande nos titulares, ora entra Egídio, ora M. Bastos, posição que tinha Zé Roberto.

E não para por aí, até em goleiros já houve questionamentos de quem deveria ser titular. A briga de posição entre Prass e Jaílson, que começou cedo com Eduardo Batista prevaleceu mesmo com a troca de treinador. Guedes no Banco? Guerra no banco? Tchê Tchê voltando bem… Tudo isso assola o torcedor, mas só o professor dentro de campo que pode encontrar esse equilíbrio. Parece certo esse dilema, mas não é, ainda mais quando se alia os maus resultados para a presença/ausência de algum jogador.

Não importa se vai ser 4-4-2, 4-3-3, 4-1-4-1. Não importa se o Felipe Melo vai jogar ou se o Borja vai ficar no banco. Nosso problema é outro.

O que realmente importa é a postura de quem entrar em campo, já que temos o elenco mais forte do país. Queremos um time com confiança e ousadia.

Ousadia! Essa é a palavra!  Queremos jogador sem medo de errar, de driblar, sem medo de fazer uma jogada, sem medo de bater um pênalti, como tem acontecido nessas últimas partidas.

Aí é como diz Guardiola: sem ousadia o jogador não se destaca nas partidas importantes! E dessa forma quem sabe não venha um novo Cucabol.

Share: