Hora de testar sua Fé!

  • 20 de outubro de 2017
  • Eduardo Lodi
  • Blog
  • 1828
  • 38947 Views

“Pode rir, rir, mas não desacredita não”. (Racionais Mc’s)

Os jogadores pediram a permanência de Valentim novamente, assim como fora no final do ano passado quando Cuca saiu pós eneacampeonato brasileiro.

Isso foi um divisor de águas e pode significar uma arrancada histórica. 

Contudo, não quero causar ilusões tampouco falsas esperanças. E sei que isso não acontecerá, pois o torcedor do Palmeiras não precisa da mídia para ter opinião própria.

Tenho orgulho de ser Palmeirense, pois fazemos parte de uma família que acompanha o time e tem, por consequência, uma opinião formada, não somos manipulados pelos dizeres de profissionais do ramo esportivo.

Depois de um enrosco, brigas infantis e muita falta de confiança finalmente o bom futebol está pairando nas partidas do Verdão. Esse é o principal fato que fundamenta a nossa Fé no título. Não se faz um campeão de futebol sem jogar bem. 

É ridículo acreditar que um time retraído e covarde, que não propõe o jogo na maioria das partidas irá se consolidar nos êxitos e levantar a taça. O que a Gambazada fez até agora teve explicações e irei aqui apontá-las.

O primeiro turno atípico se deu por conta do calendário novo do ano. A Libertadores esticada modificou o planejamento dos times que disputaram-na. Os times não souberam se preparar para enfrentar a maratona de jogos e viagens, e por priorizar a competição sul-americana entravam com reservas no Brasileirão. Nós sofremos com tal descuido, entramos de reservas logo na segunda rodada contra a Chapecoense e fizemos uma das piores partidas do ano, perdendo por 1×0 na Arena Condá.

Naquele momento não sabíamos, porém hoje se vê que a nossa querida Chape briga para se manter na série A, e mesmo sendo uma grande mandante não poderíamos deixar de somar pontos naquela ocasião, um pelo menos era necessário. Essa indecisão de poupar ou não o time acabou por dificultar muito a obtenção do padrão de jogo, já que o time só se entrosa com repetição.

E nessa instabilidade muitos resultados negativos foram acumulados; 0x0 contra o Galo, na 4ª rodada, com um pênalti perdido e 1×0 para o Coritiba na 5ª rodada.

Por outro lado, víamos um time que era ajudado pela arbitragem e vinha com seu estilo humilde segurando adversários melhores através da organização tática. 

Mesmo tendo arrancado e conquistado algumas rodadas de invencibilidade não emplacamos no futebol, era inconsistente. Tal foi o motivo de tantos pontos de diferença, chegou a 17. 

Uma diferença ridícula que pode ser superada de modo histórico. 

A previsibilidade tática acabou burocratizando nosso rival, e na contra partida, na permanência do Superman como treinador o time está buscando um “salto de qualidade”. Termo esse usado pelo nosso ilustre Alberto Valentim.

Dessa maneira, melhorando nosso futebol é que podemos alçar vôos maiores. Sabemos, indiscutivelmente, que temos o melhor elenco. Não é arrogância, é constatação. Assim como sabe-se que nem sempre o melhor elenco ganha campeonatos.

Todavia, dentro do campeonato mais disputado do mundo somente um elenco forte e com qualidade  pode arrancar e vencer as partidas que se esperam. Precisamos vencer, no mínimo 7 em 9. E temos potencial para isso. Vale refletir e acreditar.

É com base nesse argumento que temos que acreditar até o final nesse time e nesse campeonato. É clichê, mas é verdade: “Enquanto houver 1% de chance, terei 99% de Fé”.

Por isso, durma tranquilo e se prepare para uma grande batalha domingo, da qual pode nos garantir o segundo lugar e aumentar as esperanças dessa arrancada.

 

 

 

Share: