Valentim já!

  • 20 de outubro de 2017
  • Blog Torcida que Canta e Vibra
  • Vinicius Cutolo
  • 1906
  • 18491 Views

Não é uma opção, mas uma ordem. A torcida quer isso. Os jogadores querem isso. Um treinador ”cascudo” não é sinônimo de vitórias e um trabalho bem realizado. Claro que para uma determinada competição um treinador mais experiente pode ser um diferencial, jamais o essencial.

O maior desejo palestrino é a conquista da América. O Atlético/MG teve o nosso ex-treinador Cuca como o comandante. Suas conquistas até então não se passava de meras conquistas de campeonatos estaduais, mas levou o time mineiro a conquista da América.

O atual treinador da seleção brasileira, Tite, levou o rival para a conquista em 2012 da mesma forma. Teve uma boa passagem pelo Grêmio, conquistando a Copa do Brasil (2001) vários anos antes e da Copa Sul-Americana (2008) pelo Internacional, mas que chegou no decorrer da competição. Sem conquistas relevantes, Celso Roth foi campeão da Libertadores pelo Internacional em 2010.

Outros exemplos internacionais podem ser citados. O que vale considerar é quando um treinador tem o grupo nas mãos, o respeito de seu trabalho e principalmente o entendimento do que se quer aos jogadores e sua execução correta. Não adianta ter um grande treinador e o elenco não consegue captar o que deseja ou desempenhar, por características do elenco, o modo de seu jogo. O treinador que deve adaptar seu jogo ao elenco e não o contrário.

Tivemos nesse início de ano o exemplo de quando pedimos a efetivação de Valentim (não com a força atual) e contrataram Eduardo Baptista, depois o retorno do Cuca e todos nós concordamos.

Acredito que como eu, você, leitor, aprendeu uma grande lição com o retorno do Cuca: Nem sempre a segunda vez é como na primeira vez. É preciso ir em frente com novos valores e novo rumo. Hoje, Alberto Valentim é o nome correto para esse ano e o planejamento de 2018.

Share: