O TENENTE, OS SOLDADOS E A GUERRA

  • 31 de outubro de 2017
  • Jefferson Pita
  • Blog
  • 1491
  • 10710 Views

Ao final de mais uma rodada, o Palmeiras diminuiu a diferença para o líder. Agora são 5 pontos, faltando 7 rodadas para o fim do campeonato. A obrigação do Palmeiras é a classificação direta para a Libertadores 2018 e o título seria uma agradável consequência. Mas um grito já ecoa nas arquibancadas verdes: domingo é dia de guerra!

Blindar os jogadores e exigir que mantenham o foco no principal objetivo do verdão no campeonato é algo que o Cuca, por exemplo, não estava sabendo fazer. Além do Valentim ter um time mais definido, uma filosofia de jogo mais concreta e um emocional mais controlado, o nosso comandante, que ainda não perdeu à frente do time (3 vitórias e 1 empate), está sabendo conduzir o elenco do Palmeiras de forma muito inteligente.

Foto: Cesar Greco/Ag Palmeiras

Um bom tenente deve sempre explorar o melhor do seu exército. O soldado número 9 ontem fez dois gols, algo que não fazia desde o campeonato paulista. Parece que a confiança está voltando aos poucos e Miguel Borja começa a acertar mais do que errar. Apesar de alguns erros individuais e dois gols sofridos, o Palmeiras teve a paciência e inteligência para buscar o placar por duas vezes. Isso traz confiança no trabalho para a sequência.

Domingo os nossos guerreiros entrarão em campo para mais uma batalha difícil. Enfrentaremos o nosso rival que não vem bem, o que nos dá a possibilidade de mais uma vez fazer a festa em Itaquera. Agora é pensar só no confronto e esquecer a tabela. Independente da possibilidade de conquistar o título, disputar um clássico é sempre um espetáculo à parte. Precisamos aproveitar a semana para treinar a nossa artilharia, melhorar a nossa criação e condução de jogo e corrigir nossas falhas defensivas que têm nos deixados expostos. Em uma batalha tão importante, é necessário ter os soldados nas suas melhores condições. E o comando do tenente Valentim deve permanecer recebendo o apoio que vem de nós torcedores, soldados que não entram em campo.

Soldado nº 9, Borja fez dois gols contra o Cruzeiro – Foto: Cesar Greco/Ag Palmeiras

O campeonato não acabará domingo, isso é um fato. A vantagem dos rivais é grande e a obrigação de título continua sendo deles. Façamos a nossa parte. Ganhemos deles lá no campo de batalha preferido deles, mas que traz ótimas lembranças para nós. E que o nosso exército verde possa sair de lá com mais 3 pontos, mais perto da Libertadores e sendo ainda mais o pior pesadelo deles.

Share: