O negócio Gustavo Scarpa

No dia 15/01/2018, mais uma vez, causamos surpresa com a contratação de Gustavo Scarpa para a temporada. Claro, não surpresa maior que foi a de Dudu, pois o contexto é outro, mas diante da desistência pública e da briga entre São Paulo e Corinthians. A liminar na justiça que o jogador conseguiu tornou o bote certeiro. Enquanto os rivais negociavam com o Fluminense, o Palmeiras foi direto no jogador e fechou a contratação em apenas 24 horas.

O jogador Gustavo Scarpa é apresentado como o mais novo atleta da SE Palmeiras, na Academia de Futebol.

Considero a negociação um sucesso e mostra que o Palmeiras está forte o suficiente para correr riscos desse tamanho. Tivemos negociações similares de outros clubes, como o Oscar que em liminar saiu do São Paulo e foi para o Internacional, o mais notório de todos, além de Leandro Amaral que em 2008 teve que se reapresentar ao Vasco, após ter a posse de uma liminar e ter atuado pelo Fluminense. Não é colocar medo, mas entender a realidade.

É preciso entender tudo isso. Os riscos de um negócio que o Palmeiras fez, que custará cerca de R$ 23 milhões, diluídas em 03 anos de prestações, mais o salário do atleta, pagos ao jogador. É um valor alto e mostra o quão desejado o meia estava pela diretoria. Mas, e se o Fluminense vencer na justiça ao final do processo? Perderemos o jogador?

No contrato o Palmeiras colocou uma cláusula que em caso do Gustavo Scarpa perca ao final do processo a ação, os custos serão do jogador e exime a responsabilidade nossa. Infelizmente, judicialmente essa cláusula é inválida, somente para iludir o torcedor e achar que está tudo bem, mas não é bem assim. Em caso de derrota nos tribuinais, o Palmeiras entra como responsável solidário ao valor da multa contratual, que é exatamente R$ 23 milhões.

O meia Gustavo Scarpa foi a contratação surpresa dessa temporada.

Podemos pagar duas vezes pelo mesmo jogador? Podemos. Assim como, ao invés de pagar, o Scarpa retornar ao Fluminense e as coisas caminharem. Em todo caso, a espera por uma sentença definitiva pode levar anos, ainda que o Fluminense vença nos tribunais, até se resolver toda essa questão levará décadas, diante da demora do judiciário brasileiro. Portanto, não é garantia que estamos respaldados juridicamente, foi um risco que temos o luxo de correr.

O que podemos levar de lição disso é que o Palmeiras tem em sua nova administração, desde o segundo mandato de Paulo Nobre, com a chegada de Alexandre Mattos, um modo de agir agressivo. Somos agressivos no mercado, até pelo fato do clube ter dinheiro para isso, sem precisar, nessa atual temporada, de qualquer ajuda da Crefisa. E que essa agressividade continue sempre. Virou nossa marca.

 

AVANTI PALESTRA!!!

Share: