COMANDANTE ROGER

É o fim de um ano conturbado no Palmeiras. 2017 e suas expectativas frustradas não teve o rendimento esperado, mas nem tudo foi tão ruim assim. Com o anúncio da diretoria descartando a possibilidade do Alberto Valentim ser mantido, começaram as especulações. Valentim tinha grande apoio da torcida – que talvez tenha diminuído por conta das últimas rodadas do time no Brasileirão 17. Daí nomes como Mano Menezes, Abel Braga, Jair Ventura e Roger Machado ganharam forças nas discussões esportivas. Até o nome do Felipão foi ressuscitado.

O primeiro, eu descartei de cara e fiquei aliviado em não ter fechado. O segundo, tinha meu apoio. Àquela altura, depois da frustração daquele ano, sentia que o time precisava de um técnico cascudo para segurar a pressão junto com o grupo. Bullshit! Hoje, após pouco mais de 1 mês do novo comandante, percebo que a proposta de jogo do Abel Braga poderia sair um desastre com esse elenco que temos. Não que seja um técnico ruim, mas entendi que a renovação era necessária no Palmeiras. Não podemos esquecer que nos últimos anos, tivemos diversos medalhões que, de uma forma ou de outra, não tiveram o sucesso esperado. Felipão, Muricy Ramalho, Luxemburgo e até mesmo o Cuca, são alguns exemplos.

Daí restam duas opções da nova escola: Jair Ventura e Roger Machado. Penso comigo: “Bom, se é para trazer um desses dois, que mantenham Alberto Valentim”. Bullshit again! Essa resistência eu via em muitos palmeirenses no twitter, mas já estava algo mais divido. Como disse, Alberto tinha perdido força. Nunca saberemos como seria o trabalho dele pegando desde a pré-temporada.

Fato é que entre Jair e Roger, eu queria que o Roger assinasse. O pouco que acompanhei seu trabalho, gostei dos times montados e da forma que jogavam. Tinha um pé atrás, acho que como todo palmeirense (inclusive os que o apoiavam desde o início). Quando anunciado oficialmente, imediatamente a minha reação era apoiar. Já não adiantava mais nenhum tipo de contra-argumento. Era o nosso comandante e precisaria de nossa confiança. E assim foi.

Apresentação do novo treinador do Palmeiras, Roger Machado

Após 40 dias e 6 jogos à frente do Palmeiras. Roger acumula 6 vitórias, com 12 gols feitos e apenas 03 gols vazados. O Palmeiras, como todos sabem, precisa evoluir em diversos aspectos. O trabalho de Roger consegue passar confiança ao torcedor de que ele, e toda sua equipe, são capazes de ir corrigindo ao longo do trabalho. Fato que os resultados favoráveis aumentam a paciência da torcida mais corneta do país. Mas também essas vitórias são frutos de um trabalho competente da comissão técnica, diretoria, jogadores e nós, torcida que canta e vibra!

Enfim, posso dizer que até aqui estou satisfeito com o trabalho do treinador escolhido. Mais do que resultados positivos em campo, Roger me parece muito lúcido em suas entrevistas, protege bem o grupo e dar muita moral para os jogadores. Manter esse elenco motivado é um problema que ele parece bem à vontade para resolver. Não é o herói de nada, apenas cumprindo sua obrigação da forma mais competente possível. E isso já é o necessário para vermos o Palmeiras campeão novamente.

Share: