Um Palmeiras ainda em evolução

Crédito: Cesar Greco/Ag Palmeiras/Divulgação

 

Alô Nação Alviverde.

Nesse eu primeiro texto para o blog Torcida que Canta e Vibra (olha a responsa), vou apresentar meu ponto de visto a respeito desse novo Palmeiras. Bora lá?!

O Palmeiras de 2018 é muito diferente daquele Palmeiras de 2017. Isso é fato! Mas o que melhorou? O que podemos esperar deste novo Palmeiras?

Bom, primeiro vamos apontar na direção da comissão técnica. O nosso treinador, Roger Machado, tem mostrado constantemente que entender de futebol e que consegue colocar em prática os estudos feitos por ele durante os últimos anos, quando começou a ganhar destaque no mercado nacional.

Roger Machado começou um trabalho em janeiro deste ano. Um trabalho que teve APENAS 2 SEMANAS de pré-temporada. Isso mesmo: 2 SEMANAS! Claro que com tão pouco tempo seria impossível colocar em prática todas as suas ideias. Até mesmo porque os jogadores precisariam de tempo para assimilá-las.

Mas normal ainda seria ter uma oscilação durante o início do trabalho, o que de fato aconteceu. Em alguns momentos jogamos mal, porém conseguimos os resultados necessários para que o treinador não sofresse uma pressão maior, exceto pelo resultado contra o Corinthians no primeiro turno.

Durante o primeiro turno e também os jogos das quartas de finais e da semifinal, pudemos ver a evolução do time. Hoje, podemos ver a consistência que o Palmeiras tem apresentado nos jogos.

Fizemos jogos com alta intensidade, tanto na marcação quanto no ataque. O time tem mostrado uma boa marcação. Marcação que começa fazendo pressão no adversário dentro do seu campo de defesa. Isso possibilitou roubadas de bola importantes e, que em alguns momentos, resultaram em gols.

A recomposição defensiva do Palmeiras também é outro fator que tem chamado à atenção. O time tem consigo se recompor de forma rápida e organizada. A recomposição ficou ainda melhor quando Bruno Henrique entrou no time no lugar do Tchê Tchê. Com 2 volantes que sabem tanto chegar à frente e defender fez com que não tivéssemos maiores problemas defensivos até o momento. Claro que a recomposição começa com os atacantes lá na frente, porém a solidificação da marcação no meio, a recomposição se torna ainda mais fácil de acontecer.

Quanto a compactação é fácil ver durantes os jogos que as linhas do time estão próximas uma da outra. O meio campo está bem povoado, dando assim um grande suporte para a nossa zaga. É comum notar o bloco defensivo do Palmeiras encurtando os espaços entre as linhas de defesa e de meio de campo do time. Tanto é verdade que até o momento sofremos poucos gols. Ah, vale um adendo a respeito dos nossos laterais: Marcos Rocha e Victor Luís tem se destacado na marcação também, passando assim muita segurança na linha defensiva.

Não podemos esquecer que ainda estamos no começo de um trabalho. Claro que o time ainda tem muito que evoluir, e com toda certeza, ainda evoluirá e muito.

O título do campeonato Paulista pode ser o ingrediente principal para dar uma tranquilidade maior para continuar o trabalho e a evolução. Em contrapartida, caso o título não venha (bate três vezes na madeira), não será nenhum fim do mundo. Não podemos esquecer que estamos apenas no começo de um trabalho que parece ser muito promissor.

Avanti Palestra! Scoppia che la vittoria è nostra!

Share: