19 ANOS DE UM TÍTULO INESQUECÍVEL

No dia 16/06/1999, o Palmeiras viveu um momento inesquecível, a conquista inédita da Libertadores da América. O time venceu por 4×3 nos pênaltis (depois de ter vencido por 2×1 no tempo normal) o Deportivo Cali da Colombia no Palestra Itália. No tempo normal, Evair e Óseas marcaram os gols palmeirenses, enquanto Zapata descontou para o time colombiano.

A conquista desse título, começou em 1997. A Parmalat, com o objetivo de conquistar a América, contratou Luiz Felipe Scolari, o Felipão, vitorioso no Criciúma e no Grêmio, inclusive conquistando uma Libertadores pelo time gaúcho. Naquela época, apenas quem era campeão brasileiro ou da Copa do Brasil garantia vaga na Libertadores, desta maneira, a primeira oportunidade veio com a final do campeonato brasileiro daquele ano, mas o time não conseguiu vencer o Vasco da Gama e ficou com o vice.

A segunda oportunidade veio em 1998, com a final da Copa do Brasil. Desta vez o time não deixou escapar e levou o título, garantindo vaga na Libertadores do ano seguinte. Então veio 1999, e o Palmeiras trouxe dois reforços de muito peso, as voltas de César Sampaio e Evair. César ganhou a titularidade, Evair foi para a reserva, mas sempre entrava nos jogos.

O time passou pela fase de grupos, e já nas oitavas encarou uma pedreira, o então campeão Vasco da Gama, que tinha um timaço. O primeiro jogo no Palestra Itália terminou em 1×1, Óseas para o Palmeiras, Guilherme para o Vasco, então o time de Felipão tinha uma missão das mais complicadas, ter que vencer o Vasco em São Januário, onde o dono da casa não perdia fazia 19 meses. O Palmeiras não se intimidou, foi lá e venceu o Vasco por 4×2, Paulo Nunes, Arce e Alex 2x para o Palmeiras, Luizão e Galeano(contra) para o Vasco.

Vieram as quartas de final, e o duelo era contra o maior rival. No primeiro jogo, vitória por 2×0, Óseas e Rogério, porém naquele jogo surgiu a estrela de São Marcos, que fez milagres para deixar qualquer torcedor maluco. No segundo jogo,vitória corintiana por 2×0, Edilson e Ricardinho. Então, vamos para os penaltis, do lado palmeirense todos converteram, do lado corintiano, Vampeta e Dinei desperdiçaram. O Palmeiras se classificou para a semifinal.

O duelo da semifinal era contra o River Plate. No primeiro jogo na Argentina, derrota por 1×0, derrota que só não foi maior, graças a mais milagres de São Marcos. No Palestra Itália, vitória por 3×0, com um show do meia Alex, que naquela noite só não fez chover. O Palmeiras estava na final da Libertadores, enfrentaria o Deportivo Cali da Colombia.

No primeiro jogo da final, disputado em Cali, derrota por 1×0, mas que não abalou a confiança palmeirense. Porém, no segundo jogo, a partida foi mais tensa do que se pudesse imaginar. Enfrentando um time frio e calculista, que catimbava a todo momento. O time de Felipão teve muitas dificuldades, apesar de várias chances criadas. No segundo tempo, Evair entrou, e minutos depois, um penalti para o Palmeiras foi marcado. Evair, com a categoria de sempre,converteu. 5 minutos depois, o Deportivo empatou, Zapata, também em cobrança de penalti, aí Óseas, que estava sumido no jogo, resolveu aparecer para fazer 2×1 para o Alviverde de Palestra Itália. O jogo acabou, e foi para os penaltis, Evair ainda foi expulso no final. O goleiro Dudamel do time colombiano, comemorou o fato de ir para os penaltis, estaria ele certo em comemorar?

O Palmeiras começou a disputa, Zinho mandou na trave, deixando toda a torcida apreensiva, afinal de contas, Zinho era um lider em campo.Depois, Dudamel converteu seu penalti e fez questão de provocar. Júnior Baiano empatou. O Deportivo fez o segundo. Roque Jr empatou. O Deportivo fez o terceiro. Rogério empatou.A disputava estava em 3×3, o Deportivo tinha que errar as duas últimas cobranças e o Palmeiras converter a última. Bedoya mandou o quarto penalti do time colombiano na trave, explodindo a torcida no Palestra Itália. Euller, o filho do vento, converteu o último penalti palmeirense. Então, veio Zapata, o Palestra Itália todo vaiando e gritando “FORA”, e a cobrança dele realmente foi para fora. O Palmeiras era campeão da Libertadores, euforia total, dos jogadores e da torcida. Um momento inesquecível.

Share: