COBRAR DE QUEM NOS COBRA MUITO

Desde o apito final no derby da semana passada (02), a torcida palmeirense se questiona como o Palmeiras não conseguiu fazer um gol no rival, já que o mesmo vem sofrendo nessa temporada por conta da fragilidade defensiva, principalmente em jogadas aéreas. O time alviverde passou praticamente 90 minutos amassando o alvinegro, mas parou no número excessivo de cruzamentos mal feitos e na incompetência para furar o bloqueio quando teve chances nítidas de gol. Durante esses dias, vi muitos palmeirenses nas redes sociais cobrando postura dos jogadores quando se trata de um Palmeiras e Corinthians, pois a impressão que temos é que pouquíssimos jogadores (ou nenhum) entendem a importância desse confronto para nós e para o nosso clube. Pode parecer uma cobrança exagerada quando se trata de um clássico na primeira fase do paulistinha estadual, mas ela é proporcional não só à paixão que temos ao verdão, mas também à cobrança que nos é feita por quem hoje comanda esse centenário e gigante clube chamado Sociedade Esportiva Palmeiras.

Foto: Yahoo Esportes

Se cobra ao torcedor que seja sócio, pois assim – dizem eles – ajudamos a tornar o time mais forte. Não duvido disso. Por anos lidei com o fato de ver times que não tem a metade das conquistas do Palmeiras tendo uma administração digna onde valorizava o sócio torcedor com planos acessíveis e criando uma identificação maior nessa relação torcida-clube. Hoje tenho o orgulho em dizer que o time para o qual eu torço é um dos exemplos de como essa política é importante, mas desde que seja feita de forma justa ou com, no mínimo, bom senso. E tá faltando.

Cobram muito do torcedor no valor do ingresso, ainda que seja para uma competição onde o atual presidente, Maurício Galliote, desvalorizou (com razão ou não, não entro nesse mérito). Em jogos com times do interior e preços de finais de campeonatos, por mais que existam pessoas que argumentam o estádio moderno ou os jogadores de grife para justificar a cobrança alta dos ingressos, o que na minha opinião é um abuso. Mas se cobram tanto do nosso bolso é necessário cobrar ainda mais de quem veste nosso manto e entra em campo para nos representar. De quem os comanda na área técnica ou de quem lida com seus empresários.

Foto: Facebook Torcida Mancha Alvi Verde

Não contente em cobrar tanto dos torcedores, ainda afasta aqueles do qual a vida já cobra demais. Cerco nas ruas ao redor do estádio não me parece uma atitude de quem valoriza o torcedor, apenas o cifrão deles. Se foi uma atitude partida da PM-SP, com o apoio do antigo presidente do clube (e moradores da região), os principais argumentos são a segurança pública e a venda de produtos piratas ao redor do estádio. Bullshit! Na tentativa de matar uma tradição de rua – com torcedores que não tenham como assistir ao time no estádio, mas sempre faziam a festa do lado de fora – cresce a tentativa de transformar a arquibancada em uma grande comitiva teatral: não levante, não cante, não grite. Futuramente será o quê? Não cobre?

Bem, no meio desse turbilhão de cobranças, me sinto no direito de cobrar hoje, no confronto contra o Bragantino – que ocorre no querido Pacaembu PORCOEMBU, dos jogadores, comissão técnica e diretoria, uma partida digna de Palmeiras. Sabemos que o dia 02/02 não voltará pra tentarmos fazer algo diferente e vencer o time que vários outros vem vencendo, mas que a partir de hoje se escreva uma nova história de forma diferente. Seja na postura, no estilo de jogo e, não menos importante, na auto cobrança de cada um que recebe do bom e do melhor para fazer aquilo que sempre sonharam.

Foto: Cesar Greco/Ag Palmeiras/Divulgação

Por dias achei a cobrança da nossa torcida exagerada e até desnecessária, mas ainda bem que meu silêncio deu espaço pro meu bom senso em enxergar que, com tudo que temos hoje e com tudo que é exigido de nós torcedores, o que mais precisamos fazer – além de cantar e vibrar como sempre – é cobrar de quem vem nos cobrando muito há muito tempo.

Avanti, Palmeiras!

Share: